A Veja e as Antas

Todos sabem que o MEC está aplicando as avaliações do ENEM desde ontem (03/11) em todo o Brasil. Como ocorre todos os anos, o concurso sempre é cercado por polêmicas. A coisa não seria diferente este ano.

Cada vez mais popular, o Instagram é um excelente serviço para compartilhar fotos de comida de momentos do cotidiano dos usuários. Mas, como todo bom serviço, também tem lá os seus problemas. Durante o primeiro dia de prova, o MEC anunciou que 37 candidatos haviam sido eliminados do concurso por infração ao edital do concurso, que explicita a proibição de se utilizar telefones celulares nos locais de aplicação.

Nesta domingo, no segundo dia de aplicação das provas, a revista Veja resolveu, em um ato no mínimo irresponsável, pedir que os alunos enviassem “fotos do ENEM”  utilizando uma hashtag pois, segundo a revista, “as melhores serão exibidas em VEJA”.

Apesar de todo o rebuliço que houve no dia anterior e dos 37 candidatos expulsos, a revista resolveu utilizar a inocência (cof-cof-cof) dos usuários e pedir mais fotos. Sim, um dos maiores veículos de comunicação do país, em vez de cumprir com o seu papel e alertar a todos sobre a proibição do uso do equipamento nos locais de aplicação, pede mais e mais fotos.

É claro que não vou culpar somente a revista. Ela errou ao incentivar a captura e compartilhamento das imagens, mas os estudantes são os principais culpados, uma vez que deveriam estar cientes de todas as regras do edital do concurso. Logo, são umas belas de uma antas que, por culpa própria, acabam correndo o risco de serem eliminados do ENEM, como ocorreu com os 37 no sábado.

Aí, quando você acha que a revista já havia se superado, ela vem e publica, no Twitter, uma notícia comentando exatamente o que ela havia pedido horas antes: que os estudantes continuam compartilhando fotos feitas na sala de aula.

Ora bolas, como assim a revista pede o raio das imagens e, sem seguida, publica uma matéria comentando exatamente o fato de os usuários compartilharem as imagens? Se impressionou? Então espere a próxima.

Ela não somente pediu as imagens, como publicou, em seu site, uma fotografia compartilhada por um dos candidatos e tirada de dentro da sala de aula. A revista não somente publicou a imagem, como sequer fez questão de borrar o número de inscrição do estudante (eu borrei para postar aqui). Assim, caso o MEC queira, a fonte da revista se tornará mais um na lista dos expulsos.

Resumo da situação

  1. os nossos queridos estudantes se mostram completamente irresponsáveis, colocando um ano inteiro de estudo em perigo por quererem compartilhar imagens que contrariam totalmente o edital do concurso;
  2. um dos maiores (eu não disse “melhores”!) veículos de comunicação do país, em vez de utilizar o seu perfil no Twitter (onde tem  mais de dois milhões de seguidores) para alertar os estudantes sobre os riscos que correriam caso compartilhassem imagens do local de aplicação da prova, pede que eles compartilhem.

O resultado da junção da fome (ânsia dos estudantes em compartilhar as imagens) com a vontade de comer (a revista precisava de material para publicar) provavelmente será visto com mais e mais eliminações de estudantes burros do concurso.


PUBLICADO EM: 4/11/12, ÀS 14h20 URL Encurtada: http://tmblr.co/ZsGRWwWbioKd
O professor Google que se cuide com a senhora Mycrossoft

Os amigos que me acompanham há algum tempo, principalmente no Twitter, devem se recordar de quantas e quantas vezes relatei postagens absurdas nos fóruns de ajuda do Google, em especial no do Gmail. Alguns usuários devem achar que aquilo é a casa da mãe Joana e postam de tudo um pouco, até coisas que Deus duvida.

Na tarde desta quinta-feira, o amigo Luiz Fernando (que até brincou se tratar de um teste de QI) me enviou o link de uma postagem feita por um usuário no fórum do Gmail, postagem que reproduzo abaixo:

ola senhores, venho por meio deste a falar,comentar algo que jamais um professor tão conceituado como o google poderia ousar a nos deixar , assunto é considere incluir , ao enviar responder etc emails, isso e um bug??, nao isso é um absurdo, onde nao deixam uma janela para desabilitar, pois nao ha a nesse de isso ficar , sempre que vc for enviar ou responder„„ senhores diretores, jaja a senhora mycrossoft inventa algo que nao possua um erro assim, ai pode ser tarde para resolver!!!

A essência de um Top Colaborador do Google é ajudar o usuário, por mais complicado que possa ser o problema relatado por ele. Tendo isso em mente, dediquei vários minutos do meu precioso tempo com o intuito de decifrar de que raio de problema o usuário estava reclamando, mas falhei miseravelmente na tentativa frustrada de decifrar o enigma exposto.

Tentei, então, focar no único trecho da postagem que me pareceu menos ruim de entender: assunto é considere incluir , ao enviar responder etc emails, isso e um bug??. Falhei novamente. Diante de tantas falhas da minha parte (acho que corro até o risco de perder o título de Gmail Master por isso), lanço um desafio: o primeiro amigo que conseguir decifrar a pergunta do usuário, ganhará um ano do Suporte Gmail Fraga Premium inteiramente grátis! (mentira!) :p

Pois é, amigos… vida de colaborador do Google não é facio!


PUBLICADO EM: 24/2/12, ÀS 9h33 URL Encurtada: http://tmblr.co/ZsGRWwGy02AD
Descaso com um dos cartões postais de Juiz de Fora

Sempre aprendi, desde criança, que o poder público, seja ele federal, estadual ou municipal, tem, como uma de suas principais atribuições, zelar pelos bens públicos e pelo conforto e segurança da população. Afinal, os nossos governantes foram eleitos pelo povo e estão lá para administrar, da melhor maneira possível, o dinheiro do povo. Mas, infelizmente, não é sempre que vemos isso acontecer.

No dia 27 de outubro de 2011, a Acessa.com, um dos maiores portais de notícias de Juiz de Fora, publicou uma matéria na qual expunha o lamentável descaso do poder público com o Calçadão da Halfeld, um dos principais cartões postais da cidade. Como mostram fotografias publicadas pelo site, em frente ao Cine Theatro Central, um dos locais mais importantes no que se refere a cultura na cidade, havia alguns buracos no calçamento feito com pedras portuguesas.

Além de enfeiar a cidade, os buracos representam um sério risco às pessoas que circulam pelo local, possibilitando quedas que, no caso de pessoas com idades mais avançadas, podem ter sérias consequências. No ato da denúncia, o portal recebeu a informação de que o problema seria sanado na semana seguinte. Porém, passados 68 dias, uma nova publicação evidenciou o descaso da prefeitura com o problema. Mais uma vez, a secretaria de obras informou que, no dia seguinte (4/1), enviaria profissionais ao local para verificarem a situação do local e executarem o reparo.

No último dia 22, a prefeitura instalou, em todo o Calçadão, novas hastes que serviriam de suporte para as novas lixeiras. Conforme publicado pelo Tribuna de Minas, no dia 24, os novos coletores começaram a ser instalados na rua, como mostra a imagem abaixo.


Foto: Olavo Prazeres/24-01-12

Ah, lembra do buraco no Calçadão, o tema principal deste post? Pois é… Hoje, praticamente um mês após a última data prometida, vejam a situação do problema:

Isso demonstra que equipes da prefeitura (de outro departamento, mas não importa) vieram ao Calçadão no dia 22 colocar as hastes no lugar e, no dia 24, voltaram para colocar as lixeiras. Entretanto, os buracos continuaram sem receber a atenção do poder público.

Sinceramente, se o descaso do poder público ficasse restrito a uma única rua, eu nem perderia o meu tempo. Mas, infelizmente, descaso com a população é o que não falta por toda a Manchester Mineira. Um bom exemplo pode ser visto nesta reportagem da TV Panorama sobre os alagamentos causados pelas chuvas no último final de semana. Alagamentos, estes, que ocorreram em vias que foram recentemente reformadas pela prefeitura.

Ainda bem que, em 2012, teremos eleições municipais. Será uma excelente oportunidade para avaliarmos com carinho a atuação tanto do poder executivo, que deveria colocar a mão na massa, quanto do poder legislativo, que deveria fiscalizar. ;)


PUBLICADO EM: 3/2/12, ÀS 14h57 URL Encurtada: http://tmblr.co/ZsGRWwFqKZpe
Luiza já voltou do Canadá. Nós já fomos mais inteligentes.

Confesso que o Carlos Nascimento não é dos meus jornalistas favoritos, mas, na noite de ontem, ele conseguiu resumir, em alguns poucos segundos logo no início do Jornal do SBT, a realidade pela qual estamos passando.

Hoje, as coisas mais bobas e idiotas têm uma facilidade incrível de virarem assuntos do momento, invadindo as nossas casas até mesmo pelos principais telejornais do país. Será que a Internet é a culpada por isso?

Abaixo, o texto de Nascimento:

"Ou os problemas dos brasileiros estão todos resolvidos, ou nos tornamos perfeitos idiotas! Porque não é possível que dois assuntos tão fúteis possam chamam a atenção de um país inteiro.

Primeiro, um programa de televisão, em que se discute um estupro - que por si só já é um absurdo - negado pelos dois protagonistas. Segundo, uma pessoa que ninguém conhece vira uma celebridade na mídia somente porque o nome apareceu milhões de vezes na internet.

Luiza já voltou do Canadá. Nós já fomos mais inteligentes.”


PUBLICADO EM: 20/1/12, ÀS 11h26 URL Encurtada: http://tmblr.co/ZsGRWwF3z0ia
Está proibido utilizar apelido no Twitter!

Por questões pessoais, me afastei temporariamente do Twitter durante semana passada, mas, me conhecendo muito bem, alguns amigos não deixaram de me informar de uma grande confusão - que não contou com a minha participação - que ocorreu no final da tarde de quinta-feira (12) envolvendo um sorteio realizado pelo blog MacMagazine.

A promoção, que recebeu 4.364 RTs, continha, dentre as suas regras, a seguinte imposição: […] Sua conta precisa ter o seu nome completo (pelo menos o primeiro e último nomes) referenciado e todos os ganhadores passarão por verificação de CPF. […].

Isso mesmo, amigos como @Amagus, @samukaonline e @rafacst nunca poderiam concorrer pois, em seus nomes de usuário, não há os seus nomes e sobrenomes. [Segundo me corrigiu o Willian Max, o problema era com o nome de exibição, não o nome de usuário. Mas, obviamente, isso não faz, do problema, algo menor] Até aí, tudo bem. Apesar de eu achar o absurdo dos absurdos tal imposição, todos que participaram, estavam de acordo com elas.

Ocorre que a ganhadora, titular da conta @LiliaMoreira_, cujo nome de exibição é Lilia Moreira, se chama, na verdade, Lilia Aparecida Pedrosa Vieira. Como ela não tem Moreira no nome, o blog resolveu desclassificá-la e deu o iPad para o segundo sorteado.

É óbvio que o caso gerou os mais diversos tipos de piada, como:

Para completar a cagada confusão, o blog saiu bloqueando usuários que discordaram da atitude tomada:

Quem me conhece, sabe que não vou muito com a cara do MM por motivos absurdos e lamentáveis, mas isso não vem ao caso. Não estou discutindo as regras do sorteio (apesar e eu não ver problema algum no nome da vencedora). Cada um impõe as regras e acata quem quer.

O que estou questionando é a falta de apuração do blog antes de anunciar o vencedor (poderia ter evitado tudo isso), inexistência de bom senso e a péssima atitude de sair batendo boca com os seus seguidores e, muito pior do que isso, bloqueado muitos usuários que não concordaram com a sua atitude.

Se o objetivo do blog era criar uma confusão danada e jogar o seu nome (cof-cof-cof) fora, parabéns, o anfíbio* desceu pelo ralo. ;)

*os amigos mais próximos entenderão.


PUBLICADO EM: 17/1/12, ÀS 18h23 URL Encurtada: http://tmblr.co/ZsGRWwExCt8M TAGS: #blogosfera  #confusao